A AIDS Felina ou FIV (Vírus Imunodeficiência Felina) é um dos problemas mais graves que atingem os gatos, independente da sua idade. A doença não tem cura e pode levar o animal à morte.

Assim, com a AIDS em humanos. A FIV pode ser controlada através de medicamentos e o felino, levar uma vida normalmente.

Essa é uma doença exclusiva para esse tipo de animal, e não pode ser contraída por nós humanos.

Como ocorre a sua transmissão?

A AIDS Felina é transmitida por contato direto, principalmente pela saliva do animal, o que potencializa as chances de contaminação. Por isso, sempre que o seu bichano apresentar um machucado ou ferida aberta, é importante fazer um bom curativo e evitar que ele entre em contato com outros gatos. Brincadeiras e brigas podem resultar em lambidas e em gotas de saliva pelo ar. A inoculação do vírus pode acontecer através de arranhões e mordidas com facilidade.

Para os donos que desejam que seus gatos tenham filhotes, é fundamental a realização de exames clínicos para identificar a doença, tanto nele quanto no parceiro. Arranhões e lambidas, comuns nas relações sexuais, podem gerar contaminação.

Gatos de rua que compartilham objetos com outros gatos merecem atenção especial. As brigas podem gerar contaminação. A AIDS felina pode ser transmitida ao dividir a mesma vasilha de água, por exemplo, caso haja alguma ferida/ lesão.

Quais os principais sintomas dessa doença?

Os sintomas variam de caso para caso e de acordo com o estágio da doença. No entanto, citamos como os sintomas mais comuns da AIDS felina:

  • Vômitos;
  • Diarreias;
  • Gripes;
  • Infecções urinárias;
  • Complicações respiratórias;
  • Feridas na boca e na pele.

Saiba os estágios da nação.

A AIDS Felina pode ser dividida em 4 estágios principais. São eles:

1º Estágio: é a fase aguda da doença, que acontece aproximadamente um mês após a contaminação. Nela, é comum os gatos apresentarem febre e leucopenia (falta de glóbulos brancos no sangue). Diarreia e outros sintomas também podem surgir nesta fase e deixar sequelas.

2º Estágio: esta é a fase assintomática da doença. Quando o animal passa a primeira fase, ele continua a portar o vírus, mas sem nenhum sinal aparente. Isso pode durar meses e até anos.

3º Estágio: nesta fase, ocorre o que chamamos de linfadenopatia generalizada. Os animais costumam perder peso, apresentar febre, falta de apetite e mudanças bruscas de humor. Esta fase também pode durar de semanas até anos.

4º Estágio: é o grau mais avançado da doença, a fase crônica. Nela, diversos problemas de saúde simultâneos afetam o gato devido à baixa imunidade. É comum o animal manifestar diarreia, febre, otite, problemas dermatológicos e respiratórios, todos de uma vez. No período terminal, pode-se observar problemas renais e linfomas.  

Forma de prevenção.

A prevenção da transmissão destas viroses consiste principalmente em evitar o contato de animais sadios com animais positivos para os vírus. O controle da circulação de felinos, evitando contato com animais que vagam pelas ruas, pode contribuir com a diminuição da incidência destas doenças nas populações de felinos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *